terça, 22 agosto 2017

Procura em Cascais e Oeiras aumenta, com brasileiros a liderarem as vendas a investidores estrangeiros. Valor médio por transação é de 1,3 milhões de euros, bem acima dos 460 mil euros que os portugueses pagam nesta zona

A procura de moradias na linha de Cascais não para de aumentar. A impulsionar as vendas estão muitos brasileiros que resolveram mudar-se para Portugal e trazer as famílias. "Em 2016 estávamos a vender muitos apartamentos na zona de Cascais, mas nos primeiros sete meses deste ano as moradias têm ganho destaque", contou ao DN/ /Dinheiro Vivo Rafael Ascenso, diretor-geral da Porta da Frente /Christie"s. "Há famílias inteiras de brasileiros a mudar-se para Portugal e a escolher a zona de Cascais para viver."

No primeiro semestre de 2017, a Porta da Frente/Christie"s fechou 64 negócios em Cascais e 14 em Oeiras. Os brasileiros representaram 21% das vendas de Cascais, e são já uma das nacionalidades que mais crescem - e pagam. "Se em volume representam 21% dos negócios, em valor de transações representam muito mais", admite Rafael Ascenso. Nas vendas fechadas nesta imobiliária, os brasileiros desembolsam, em média, 1,3 milhões de euros - um valor bem acima da média, por exemplo, dos portugueses, que se fica pelos 460 mil euros. Este valor tem vindo a aumentar, diz Ascenso, também pela classificação dos imóveis vendidos, que agora já não se fica, apenas, pelos apartamentos para poder alojar estas novas famílias.

O interesse de brasileiros por Portugal não é de hoje: no ano passado, foram a terceira nacionalidade que mais casas comprou, depois de franceses e ingleses, o que representou um crescimento de 10% face ao ano anterior, mostram dados da APEMIP, a associação do setor.

Lido 42 vezes